NENHUMA DAS RESPOSTAS ANTERIORES

sindromes da vida

Para fazer o download deste estudo na íntegra, acesse a biblioteca da Sangha EEU

 

 

Participante: certo, mas estas explosões que eu tenho são emocionais.

Sim, elas são emocionais, mas qualquer emoção é irreal. Deixe-me explicar isso…

O universo é uno, único e estável. Isto nós vimos em nossos estudos dos ensinamentos dos mestres. A partir deste conhecimento, pergunto: num lugar onde tudo é uno pode existir raiva, angústia, nervoso, preocupação, felicidade, alegria, prazer? Não. Se tudo é uma coisa só, não pode existir esta variedade de coisas.

Sendo assim, todas as emoções que você convive durante a existência carnal não são universais e se não são, não pertence ao universo. Se não pertence ao universo, à realidade real, é vida, faz parte do elemento ilusório que o ser está vivenciando como encarnação, como provação.

É a vida que gera a idéia de você ter qualquer emoção prazerosa ou culposa pelo que fez. Não é você que está sentindo isso. Ela faz isso para lhe criar uma proposta de reação a um acontecimento. Ou seja, é uma das proposições de respostas para você escolher como vivenciar a sua provação.

O pular no pescoço ou o rodar a baiana é o cabeçalho da sua prova. Usando o conhecimento humano sobre provas, posso dizer que isto é a apresentação da questão. Por exemplo: ‘um trem sai da estação a tantos quilômetros por hora e leva tanto tempo para chegar a outra estação. Qual a distância entre as estações’.

Este trecho é o cabeçalho de uma questão de prova humana. No caso da provação que a vida gera corresponde ao acontecimento: ao ato de você pular no pescoço dos outros, de chutar o pau da barraca, etc.

Depois que ela cria isso, apresenta, então, as opções de respostas:

a. você deve sentir-se mal porque fez isso;

b. você deve sentir-se culpada pelo que fez;

c. você deve sentir prazer porque aquela pessoa não presta mesmo;

d. nenhuma das respostas anteriores

A quantidade de opções é variável. A vida pode propor diversas reações para um mesmo acontecimento. Mas, uma coisa é certa: sempre haverá a opção ‘nenhuma das respostas anteriores’. Afirmo isso porque é esta a opção que precisa ser marcada por aquele que não quer sofrer.

Marcando qualquer uma das opções anteriores, certamente você viverá a dor ou o prazer. Apenas esta resposta lhe faz conviver com o acontecimento em equanimidade.

Participante: dá para escolher não sofrer ou ele vem sozinho?

Dá para escolher o não sofrer o sofrimento. O sofrer, no entanto, precisa haver.

Na verdade o sofrimento precisa estar presente porque ele é uma das proposições que a vida lhe fará. Sempre a vida criará opções que contenham um sofrimento. Por isso afirmo que o sofrimento estará presente, mas ele não precisa ser vivido.

Apesar de a vida lhe propor sempre uma opção de sofrer, você pode evitar vivenciar este estado de espírito. Ou seja, você não precisa sofrer porque a vida está gerando sofrimento. Como isso só se consegue realizando uma escolha, respondo que, apesar da presença do sofrimento na vida, escolhendo não sofrer, você não sofrerá.

O optar por alguma coisa durante a vivência da vida sempre existe. Ele pode ser até inconsciente, como no caso do exemplo que dei de quando alguém lhe chateia e você não vive isso porque está bem, mas ele precisa existir.

Apesar de no exemplo que dei haver apenas uma reação inconsciente, digo que é preciso existir um trabalho consciente para que a reação ao que a vida propõe não seja de sofrimento. Na verdade, a reação inconsciente para não viver o sofrimento é algo mecânico. Este tipo de reação só acontece depois que você cria o hábito de reagir de tal forma. Portanto, é preciso exercitar a escolha para alcançar a mecanicidade na reação. Sem estar calejado neste processo fica difícil escapar das armadilhas que a vida cria, pois às vezes ela muda uma palavra ou uma situação no cabeçalho da questão e vocês se perdem.

Reagindo consciente ou inconsciente, o importante é vocês entenderem o mecanismo da vida, pois se não compreenderem continuarão vivendo sofrimento quando a vida lhes der esta proposição de reação ao que ela criou.

Estarem aqui não tem nada a ver com vocês, mas trata-se apenas da vida. O que estão ouvindo também não tem nada a ver com vocês, pois é vida. O que estão raciocinando a partir do que está sendo ouvido também não tem nada a ver com vocês, mas é apenas vida. Agora, enquanto a vida está aqui ouvindo e racionando o que é escutado, ela proporá a vocês uma forma de estar aqui e é esta forma que não devem aceitar, qualquer que seja esta propositura, pois a resposta que leva à felicidade é sempre nenhuma das respostas anteriores.

Participante: como é que você vai saber que respondeu desta forma?

Nós chegaremos lá na nossa conversa de hoje. Por hora O importante é saber que a única opção que não leva ao sofrimento é nenhuma das respostas anteriores. Por que isso? Porque qualquer outra opção será apegar-se ao que a vida cria e quem se apega a qualquer coisa desta vida está fora do universo e por isso está em sofrimento.

Por isso, vamos nos concentrar neste ponto.

02-Convivendo com a vida