Volume 01

Guerreiros da paz

1. Introdução

• Paz é um estado de Espírito, é uma forma interna, emocional, sentimental de vivenciar acontecimentos do mundo humano. Não tem nada a ver com situações de vida, é quando há harmonia entre o mundo interno e o mundo externo, não igualdade entre as duas coisas.

• Existe harmonia quando não há contrariedades entre os dois mundos.

• O trabalho do guerreiro da paz, é harmonizar seu mundo interno com a vida, com seus acontecimentos, com o mundo externo.

• A vida não se sujeita aos seus desejos, as suas vontades, ao seu comando, a vida vive a vida, independente do que você quer.

• O guerreiro da paz, deve vencer as contrariedades do mundo interno, não mudando alguém ou algum acontecimento, desta forma, você está querendo impor a sua verdade, a sua vontade, dominar o mundo.

• Ninguém rouba a sua paz, é você que perde. O inimigo da paz não está no mundo externo (a vida), mas no interno. São eles:

• O INDIVIDUALISMO: pensar a partir de um “eu”, buscando que esse “eu”, obtenha uma vitória, influenciar o outro, para que ele goste do que você gosta. É o GENERAL do exército inimigo da paz, é ele quem influencia todos os outros membros do exército.

• OS TENENTES: que também não aparecem. São eles:

• INTENCIONALIDADE: a intenção é o que é querido para si;

• POSSE: querer administrar a vida do outro, das coisas, dos acontecimentos;

• PAIXÃO: ter opiniões individuais sobre qualquer coisa. É gostar, para satisfazer o seu próprio ser;

• DESEJO: é o mais forte. Desejo é vontade, e tudo que é expresso, é vontade. É esperar um resultado;

• AS QUATRO ÂNCORAS.

• OS SOLDADOS: são os pontos das desavenças nas situações (respeito, amor, solidariedade, carinho, atenção), usados pelos tenentes e general, pra trazer o fim da paz. Toda situação de vida que lhe contraria, é um soldado, mas eles não são a verdadeira causa de você perder a paz, e sim, porque você cedeu à intencionalidade, a posse, etc., ou seja, aos tenentes, e, principalmente, ao individualismo (o general), querer que o mundo seja como você acha e exigir que o mundo supra aquilo que você quer.

• O trabalho do guerreiro da paz é enfrentar os soldados e descobrir o que os tenentes e general, que estão dentro de você, estão querendo, e aí, libertar-se da ação desses inimigos, para poder viver a vida em harmonia.

• Quem causa desarmonia são os inimigos da paz, não a mente, os pensamentos, a mente é apenas o transporte da ação do inimigo. O pensamento, a história do pensamento, não causa a sua desarmonia, o que vai causar é o seu individualismo, porque você poderia ter os mesmos pensamentos, mas se não cedesse ao individualismo, a pensar a partir de você, sempre querer ganhar, não haveria desarmonia.

• Não se ajuda uma pessoa, querendo resolver o seu problema, mas ensinando a combater a ação do inimigo da paz dentro de si.

• Ter problema na vida, é estar em desarmonia com a vida. Todo e qualquer problema que você tenha, é uma desarmonia, é você querer ter uma coisa e não ter, se você não quisesse nada, você não teria problema. Você tem o problema, porque quer ter, dito pelo seu individualismo.

• A luta não é contra você mesmo, mas o que está dentro de você, mas não é seu, que são os inimigos da paz.

• Lida-se com as diferenças, dando o direito ao próximo de ser, estar e fazer o que quiser.

• O problema não é ter suas verdades, mas achar que os outros aceite as suas verdades, e abandone as dela. É o individualismo e os outros, tenentes.

• Amar a Deus sobre todas as coisas, porque Deus é tudo e tudo é Deus. Manter harmonia em qualquer acontecimento, já que tudo é perfeito.

• Não existe nenhum compromisso ou obrigação entre os membros de uma família. Somos todos companheiros de encarnação, gerando provas para todos.

• Estar em paz é fruto de um trabalho.

• Para amar, é necessário destruir tudo o que não é amor dentro de si.

• Todos os traumas que temos, é da natureza humana, não nossos. O trauma, é a arma que o general e os tenentes usam contra você, pra lhe tirar a paz.

• Você só vai conseguir se libertar dos seus inimigos, quando conseguir separar você humano de você espiritual.

• Se você não gosta da atitude de uma pessoa, é porque você acha que ela deveria ter outro tipo de atitude, ou seja, quer que ela seja diferente, agindo, assim, com individualismo e posse, cassando o seu livre-arbítrio.

• O guerreiro da paz, trabalho muito o respeito ao outro (ser, estar e fazer o que ele quiser), porque só com o respeito ao outro, você pode calar a contrariedade dentro de você. Se você exige respeito a você, você quer impor ao outro o limite do direito dele.

• Aceite seus pais do jeito que são, senão, é preconceito.

• RELACIONAMENTOS AMOROSOS

• Os relacionamentos amorosos atuais, são vividos com posse (“meu marido”, “minha namorada”). Ninguém é dono do outro, são companheiros.

• O primeiro trabalho, é acabar com a posse (querer que a pessoa faça o que ela quer).

• O custo da espiritualização, é se libertar do que não gosta e também do que gosta, já que nada do que ele gosta aqui, tem no plano espiritual.

• O companheirismo, não pode buscar lucro individual, mas tem que buscar servir ao outro, fazer pelo outro, sem esperar retorno, se acontecer, ótimo, se não acontecer, ótimo. Companheiros são sempre duas pessoas que estão sempre disponíveis um para o outro, superando os seus individualismos, suas posses, suas paixões e desejos, se não superar, você não vai servir ao outro, vai querer ser servido.

• Os soldados são as ideias que lhe vem à mente; eles estão ligados aos tenentes e ao general.

• A passividade, é o caminho para a evolução espiritual, pois se você for ativo, vai chocar-se com a atividade do outro, e aí, você não vai conseguir viver em paz.

2. Política

• Ter suas convicções políticas, mas não entrar em discussões, tentando provar ao outro que as suas convicções é que são verdadeiras.

• Todo espiritualista tem que achar essa vida uma ilusão, por isso, não perde tempo em defender coisas materiais, não se preocupa com dinheiro roubado, se tem uma saúde boa ou má, porque está unido com as coisas de lá de cima e não de baixo.

3. Criar expectativas sobre alguma coisa

• É quando se cria uma esperança que a coisa aconteça como ele quer, só que a vida não é governada pelas suas expectativas ou certezas; a vida corre solta, a vida vive a vida.

• A expectativa é um soldado usado pelos tenentes e general, para que você perca a sua paz.

• Quem vive esperando que aconteça alguma coisa, vive caminhando em uma corda bamba, prestes a cair, prestes a sofrer.

• Aceitar a expectativa que a mente cria, é colocar a sua paz em segundo plano.

• Vou fazer o melhor agora, se eu vou acordar do lado de lá melhor, não sei; é a fé, eu me entrego e confio em Deus, vou fazer a minha parte e vou deixar ele fazer a dele.

• Se você projeta uma vida melhor na outra vida, você ainda está preso ao egoísmo, ao individualismo.

• Somos responsáveis pelo ato espiritual (o sentir), e não pelo ato humano, ou seja, viver em paz ou não, viver feliz ou não, amar ou não.

• Todos os ensinamentos são para você aprender a viver o aqui e agora, sem querer ganhar hoje ou amanhã, só para você aceitar a vontade de Deus, para você conseguir uma união amorosa com Deus.

• Sempre a mente humana trabalha com expectativas, é a forma dela existir, se você quer viver sem expectativa, viva, mas não cobre que os outros mudem, não cobre que os outros não tenham expectativas, então, esqueça os outros, tome conta da sua vida, da sua expectativa, da sua vivência, pra você não sofrer, e deixe o resto nas mãos de Deus, de viver. Não existe como você mudar os outros.

• Quem tem expectativas é aquele que quer saber o futuro, agora.

• Ter esperança é o mesmo que criar expectativas. Não é pra você não ter esperança, mas não viver a esperança criada pela mente.

• O amar humano diz que amar o outro é ensinar o que é certo pra ele, o que é bom, ensinar o que você acha que ele deve aprender, isso é egoísmo, não é amor. Amor é você respeitar o outro, e o respeito ao outro passa pelo direito dele se ferrar, se ele quer se ferrar.

• Saiba que nada depende de você (“eu gostaria de ter uma coisa, vou fazer tudo pra ter”, se tiver, teve, se não tiver, não teve).

• Você só consegue vencer as expectativas, quando você perde o suposto controle da vida.

• Você só vai ser capaz de viver esta vida, quando se declarar incapaz de viver esta vida.

4. O apego a tudo

• Apego é um amar, gostar, querer especial. O apego dá às relações, a característica de dependência, quem ama apegadamente, tem uma dependência daquela pessoa que se ama.

• Como amar sem apego? Amando a você acima do amor que você tem pelo outro. Aquele que é dependente dos outros, é porque ele não ama a si mesmo, ele precisa do amor dos outros para se sentir bem, para estar em paz, precisa da presença da pessoa.

• O guerreiro da paz luta para não se apegar a ninguém, para não depender de ninguém, por isso, ele luta para se amar do jeito e como ele é.

• Elevação espiritual é prática, e não conhecimento, é usar o conhecimento na prática.

• Orgulho, é aquilo que lhe empurra pra cima, quando você diz assim: “eu fiz isso, eu posso fazer mais”, isso é orgulho. Já soberba diz: “eu fiz, e sou melhor do que você, porque você não fez”.

• Amar a si mesmo, é amar o que você é, o que você vive, o que você tem, o que você faz. Já ser egoísta, é esperar que o que você é, tem e faz, lhe traga algum lucro individual.

• Vocês não tem livre-arbítrio de fazer, mas sim de ser, depois que o Espírito pede o seu gênero de prova, cria pra si uma espécie de destino, que será inexorável, isso em relação às coisas materiais, porque quanto ao bem ou ao mal, ele mantém o seu livre-arbítrio, então, você não pode mudar a sua vida, você não pode praticar atos, mas você tem o livre-arbítrio de escolher como você vive: se você vive achando que tudo é um saco ou se você vive em paz com tudo.

• A raiva, o ódio, etc., são lançados pelos tenentes e general, como soldados, pra testar você e dificultar sua elevação espiritual.

5. Religião

• Cada religião é um caminho específico para cada encarnação.

• Ecumenismo não é a fusão de todas as religiões, mas a fusão dos ensinamentos de todos os mestres.

• O problema de alguém lhe criticar, é que você não quer ser criticado. Deve-se receber a crítica dos outros, sem sofrimento. Aquele que não quer ser o dono da razão, não se sente criticado por ninguém. Nunca o problema está no mundo externo, mas internamente.

• Não importa o que você faz, mas a intenção que você faz, se faz pra ganhar, levar vantagem, você está sendo individualista.

• O que tira a paz, é a preocupação com o ato e não o próprio ato.

• Como trabalhar as aflições pelas coisas desse mundo? Não pertencendo a este mundo, acreditando que existe um Deus, que é a causa primária de todas coisas, que existe um Senhor do Carma, que não vai me dar nada que não tenha programado para viver.

• Deve-se assistir a vida, não viver a vida (gostar, não gostar, envolver-se com as notícias, acontecimentos). Usar da apatia pra tudo. Antes de ficar apático, você deve querer ficar apático.