Aldo Pereira

Carregue a sua "cruz".

Por Aldo Pereira há 1 semana

Aquele que reza a Deus pedindo que afaste a sua doença ou que termine com os momentos onde ele é agredido ou caluniado, não tem condições de se tornar um discípulo de Cristo. Aliás, nas próprias bem aventuranças Cristo diz: Felizes são vocês quando os insultam, perseguem e dizem todo tipo de calúnia contra vocês por serem meus seguidores. Fiquem alegres e contentes, porque está guardada para vocês uma grande recompensa no céu. Pois foi assim mesmo que perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.

Reparem como Cristo fala nas bem aventuranças: quando, ou seja, no exato momento que...

Esta é uma grande verdade: sem as situações de desgosto o ser humanizado não tem condições de fazer a reforma íntima. Sem entregar-se – reparem que não estou falando em causar, mas entregar-se – e vivenciar até o último gole do cálice que o Pai lhe oferece, o ser humanizado não consegue chegar ao reino do céu.

É isso que Cristo mais uma vez está ensinando. Não adianta o ser humanizado querer fugir das suas cruzes diárias, não adianta dizer que os outros o crucifica; é necessário que o ser humanizado ser entregue às suas cruzes.

Mas, Cristo fala mais ainda. Ele diz que é preciso pegar a sua cruz e segui-lo, ou seja, vivenciar estes momentos num estado paz, felicidade e harmonia com o mundo e consigo mesmo. Para se conseguir a consciência crística não basta apenas passar pelas situações de sofrimento, mas é preciso vivenciá-las da mesma forma que o mestre as vivenciou. Como ele vivenciou a crucificação: Pai, louva o seu nome através de mim...

Portanto, este é o ensinamento completo: carregue a sua cruz, ou seja, não fuja dos seus momentos de sofrimentos, mas ao vivenciá-los faça louvando a Deus (em felicidade plena) e não sofrendo. Aliás, esta informação também está em O Livro dos Espíritos: alcança a perfeição aquele que vivencia a sua encarnação (vida humana) sem ranger de dentes...

Espiritualismo ecumênico universal