Aldo Pereira

É tudo com você.

Por Aldo Pereira há 3 dias

A busca da felicidade, deter o poder de ser feliz, passa por aceitar não ganhar. Como pode fazer isso se vive o tempo inteiro inebriado pelo ganhar, pelo poder de ter acertado e saber o que os outros estão fazendo? A dificuldade em não conseguir agir em si mesmo, apesar de ter conhecimentos sobre o funcionamento da mente e apesar de ver o caminho para os outros, nasce justamente da sua sensação de poder, de vencer.

Liberte-se um pouco de ficar observando os outros. Quando a mente disser que o outro está errando no caminho que ele tomou, diga a ela: ‘não sei’. O problema é que ao invés disso, você acaba aceitando o que a mente diz saber e ver. Com isso, passa também a saber e a ver.

Quando ela disser que alguém está fazendo o que o ensinamento disse para não fazer, responda: ‘não sei’. Se não agir assim, estará aceitando implicitamente a busca da vitória individual e quando chegar a hora da mente usar deste mesma intenção nos seus próprios egoísmos se tornará mais difícil vencê-la.

Não se deixe contaminar com as verdades que a mente cria sobre o que os outros estão fazendo. Não se contamine com as certezas que a personalidade humana gera e com isso lhe dá o papel de psicólogo do mundo. Lhe dou esta orientação porque deixando-se levar pela ação do seu ego as suas próprias provações se tornarão mais difíceis. No momento de agir em si mesmo não aceitará não ganhar porque está inebriado pela sensação de vitória.

Ninguém sabe, ninguém conhece o caminho da felicidade, a não ser no próprio momento em que surge a caminhada. Não existem mapas, roteiros. A cada momento é preciso caminhar para frente e só pode fazer a sua própria caminhada.

Espiritualismo ecumênico universal