Aldo Pereira

"Tornai-vos transeuntes”.

Por Aldo Pereira há 2 meses

A vida carnal é apenas um lapso de tempo da vida espiritual. Nela não existe a eternidade que o espírito imagina. Tudo nesta vida é efêmero e durará apenas o tempo certo que Deus julgar necessário durar para a evolução de cada espírito. O ser humano, por não compreender esta Verdade Universal, imagina que aquele objeto, situação ou pessoa perdurarão para sempre na forma em que se encontram...

Tudo no Universo é impermanente, ou seja, transforma-se constantemente: as pessoas, amanhã, não serão as mesmas de hoje, a beleza que existe nos objetos acabará com o tempo, as situações mudam sempre. Deus providencia a mutação constante em todas as coisas.

O ser humano sabe desta característica das coisas, mas apega-se às situações porque vive com a sensação de que elas serão eternas. Imagina, por não encontrar soluções, que os problemas permanecerão eternamente iguais. Apega-se aos objetos materiais e gostaria de perpetuá-los, sofrendo quando eles se quebram... Não aceita despedidas ou partidas, pois acha que os relacionamentos também são eternos.

Não ver a impermanência das coisas é parar a sua evolução espiritual, pois traz sofrimento. Sempre que um espírito quer possuir determinada pessoa, objeto ou situação, é porque ele não consegue ver a impermanência das situações. Para continuar a sua caminhada espiritual é necessário que o espírito compreenda que tudo que existe no Universo irá se transformar um dia.

A carne vira adubo, o amigo se distancia, a beleza extingue-se. O ser humano tenta atrasar o envelhecimento da carne, mas ele sempre vem. Quer prender os entes queridos junto a si, mas eles estão sempre partindo para as suas jornadas. Todo apego gera uma posse onde o espírito imagina que consegue o comando sobre as pessoas, as situações e os objetos.

É esta consciência da perda do poder sobre as coisas e as pessoas que faz o espírito sofrer.

Por isto Jesus nos conclama neste ensinamento a sermos transeuntes, ou seja, não nos apegarmos a nada nem a ninguém. 

Espiritualismo ecumênico universal