Renato Mendes

Comece pelo começo

Por Renato Mendes há 9 meses

Já percebeu que vivemos em uma era imediatista? Queremos tudo agora, esperar é uma tortura.

Este imediatismo nos atinge inclusive em assuntos de espiritualidade.

Nós devoramos o assunto e queremos um efeito imediato. Lemos que Atman é Brahman e queremos experimentar a Unidade agora, seja lá o que isto queira dizer.

Mas vamos com calma, existem sim testemunhos de pessoas que "despertaram" de modo repentino, mas se isto não ocorreu com você não fique parado esperando, pois da espera você receberá apenas a espera.

Figura

Quando vemos uma criança começando a andar é interessante notar a euforia dela em chegar logo ao objetivo, e assim que tenta correr ela cai. Aí ela se levanta e percebendo que não consegue chegar correndo, ela se concentra no primeiro passo, e com calma tenta dar o segundo e o terceiro até chegar.

Pois bem, assim como a criança, concentre-se no primeiro passo, e aí estará pronto para dar o segundo, mas não tente alcançar a chegada se nem começou.

E falando em caminhada, por onde sempre começamos? Começamos de onde estamos, não é na linha de partida, porque mesmo para chegar à linha de partida devemos caminhar a partir de onde estamos agora.

Por onde começamos então se o assunto é espiritualidade? Comece pelo mais perto, comece por você, e onde está agora e o que você é? Observe-se para descobrir. Observe-se aí mesmo onde está agora, observar é o começo e para observar não é necessário ir a lugar algum ou fazer coisa alguma, apenas observar.

Observe-se. Observe-se fazendo qualquer coisa ou não fazendo nada. Observe o seu mundo interno.

Não faça da observação um ritual, mas se praticar um ritual, observe-se praticando. Não espere sentar na posição de lótus ou fazer mantras e mudras para observar-se, mas ao fazer tudo isto observe-se internamente enquanto faz. Observe-se indo meditar, observe-se meditando, observe-se após a meditação.

Observar não cansa, observar é apenas observar e mais nada, se vier o cansaço observe isto.

Figura

Observar-se é dar o primeiro passo, e se fizer apenas isto já é melhor do que não ter feito nada.

É melhor sair desta vida com ao menos um passo dado do que não ter dado passo algum.

Observe-se e então a caminhada terá dado início.
Renato Mendes

Caminhe

Por Renato Mendes há 9 meses

Falando em espiritualidade acontece de lermos algo ou passarmos por uma experiência profunda que nos traz algo na forma de insight ou conclusão que tenha ou não alguma lógica mas identificamos como verdadeiro.

A partir deste ponto é preciso admitir que aquilo tem valor e passar a olhar tudo sob o prisma desta nova realidade.

Não é possível abandonar a transformação que isto lhe causou porque irá lhe acompanhar, mas é possível colocar em dúvida e voltar aos velhos hábitos de interação com o mundo utilizando-se dos antigos valores e conceitos.

Se tiver firmeza e passar a encarar tudo a partir do que esta experiência lhe trouxe, mesmo que haja conflito com os velhos padrões, em algum momento o mundo "externo" seguirá o mundo "interno" e as próprias experiências serão a prova daquilo que fez sentido internamente.

Se pararmos para racionalizar aquilo antes de tomarmos a decisão de coloca-lo em prática na nossa vida, nunca o colocaremos e viveremos a dúvida sem constatar a manifestação daquilo.

Como em uma caminhada, é preciso dar o próximo passo a partir do ponto onde estamos no momento, se racionalizarmos ou voltarmos aos velhos padrões daremos passos para trás ou não sairemos do lugar ou mesmo ficaremos andando de lado.

É lindo lermos sobre espiritualidade e tudo aquilo que ela nos traz, as suas consequências naturais, as histórias dos "santos", a vida dos mestres, os ensinamentos sublimes e maravilhosos. Mas ficar apenas lendo, imaginando, sonhando, não nos trará nada além de distrações e passatempos.

Constate onde estão os seus pés nesta caminhada, admita que aquilo que você leu ou vivenciou tem valor e dê o próximo passo consciente de tudo isto, em algum outro passo futuro novas descobertas podem vir e então outros passos virão a partir destas descobertas, mas é preciso caminhar, e o caminho se faz consciente e colocando em prática aquilo que tenha mostrado valor.

Caso contrário, não sairemos do lugar e aquele insight não passou de insight por não o termos colocado em nossas vidas e aquelas ideias lindas que fazemos da espiritualidade nunca deixarão de ser ideias lindas que fazemos da espiritualidade.