Gileno de Sá Cardoso

O DESPERTAR

Por Gileno de Sá Cardoso há 10 meses

Passo a passo, dia a dia

Tudo se tornou diferente

O que antes era confuso

Hoje se tornou coerente

O inimigo de outrora

Sempre forte e valente

Tanto sofrimento causava

Agora o vejo impotente

As lembranças do passado

Antes fortes e insistentes

Depressivo me deixava

Agora só me vejo contente

A ansiedade do futuro

Preocupava e me consumia

Hoje deito na minha calma

Sereno vejo passar o dia

Não sabia o que era vida

Nas agruras do outrora

De repente surgiu o milagre 

Do abrigo do agora

Vivia num mar constante

De julgos e de intrigas

Hoje me sinto no  paraíso

Sem querelas e sem brigas

Antes selecionava as amizades

Achava que só uns valiam a pena

Pra mim agora são todos iguais

No amor uso a mesma trena

Na labuta da vida

Só via competição

O ego só me impulsionava

Pro prazer e perdição

Quando pensava que estava na vida

Achando que era minha a eternidade

Na verdade estava na morte

Perto da mentira e longe da verdade

Perder ou ganhar hoje não mais importa

Famoso ou desconhecido tanto faz ser

O elogio ou a crítica não mais me atinge

Saí da dor, o bem-estar é o meu prazer

Se me envolvo num conflito

Dele afasto logo o concorrente

Me analiso com o meu Ser

Na presença do Onisciente

A vida nasce do pensamento

Nos trazendo logo a prova

Mas se com a vida o eu se identifica

Verá que Deus logo reprova

Se de repente caio numa tentação

Procuro logo me harmonizar

De posse do amor universal

Expulso o ego daquele lugar

Quando lá fora a coisa fica feia

Trato logo de me despertar

Saio de cena ligeirinho

Convoco a consciência a observar

A cada dia que passa

Vejo meu coração se limpar

De qualquer tipo de sentimento

Pra semente do amor germinar