Gileno de Sá Cardoso

VITIMIZAÇÃO

Por Gileno de Sá Cardoso há 3 meses

A vitimização é um aspecto da personalidade humana que afeta ao personagem ativo e ao passivo. É uma forma terrível de apego à vida que produz conflitos crescentes e podem persistir por uma existência inteira, caso não seja combatida intimamente pelo ativo e ignorada pelo passivo. Pura falta de consciência material e espiritual.

Renato Mendes

Único Poder

Por Renato Mendes há 8 meses

Tudo é regido por um único poder, e este poder não é meu nem seu.

É ilusão pensar que podemos alguma coisa, que nosso poder é maior ou menor que outro poder, que fazemos algo a alguém porque temos poder maior do que o outro ou vice-versa.

Não há dois poderes, há apenas um poder. É preciso conscientizar-se profundamente disto.

E este único poder não está à nossa disposição para usarmos como nos convém, passamos muito tempo estudando e fazendo qualquer tipo de práticas para termos acesso a este poder e faze-lo nos servir. Não, isto não funciona.

Por creditarmos poder em nós mesmos vivenciamos o sofrimento, sofremos quando queremos que as coisas sejam diferentes e também sofremos quando queremos que as coisas perpetuem, não temos o poder de realizar nenhuma destas coisas, mas ainda assim, por ignorância, insistimos em acreditar que sim.

No entanto existe uma maneira de escaparmos ao sofrimento, esta maneira é nos colocar à disposição deste único poder, resistir a ele é fazer uso do egoísmo. A paz e a felicidade são o que buscamos, mas nunca encontramos pois buscamos de forma incorreta e isto gera mais infelicidade. Paz e felicidade existem quando abandonamos nossas ilusões de poder e conscientemente nos abrimos a este único poder, ele então conduzirá nossas vidas com paz e felicidade, mas a paz e felicidade dele e não deste mundo que julgamos erroneamente serem paz e felicidade quando na verdade são guerra e prazer.

Entregue suas ilusões, renda-se, abra-se a isto, e veja a sua vida sendo conduzida sem as suas opiniões, desejos, necessidades e obrigações, permita-se experimentar esta realidade. O ego pode investir contra isto dizendo ser fraqueza, que será um salto no escuro e sem ele, o ego, você irá se machucar, mas é exatamente o contrário, o ego é fraqueza e usa de chantagens e ameaças para justamente esconder esta fraqueza, como disse só há um único poder, e ele não é do ego.

Figura

Não construa, não cultive, não crie, não, você não pode nada disto, perceba claramente, não tem participação sua desta maneira, a sua participação é entregar-se, entrega total, é um despojar, desnudar-se, render-se.

Você não pode fazer com o que vento entre pela janela, você pode apenas abrir a janela e o vento entrará por si mesmo.
Gileno de Sá Cardoso

MECANISMO DO APEGO

Por Gileno de Sá Cardoso há 9 meses

A dissonância cognitiva pode resultar na tendência de negação de evidências e outros mecanismos de defesa do ego. Quanto mais enraizada nos comportamentos do individuo uma crença estiver, mais forte será a reação de negar crenças opostas. Em defesa do ego, o humano é capaz de contrariar mesmo o mais alto nível básico da lógica, podendo negar evidências, criar falsas memórias, distorcer percepções, ignorar afirmações científicas e até mesmo desencadear uma perda de contato com a realidade (surto psicótico).

Gileno de Sá Cardoso

LUTANDO CONTRA SÍ PRÓPRIO

Por Gileno de Sá Cardoso há 10 meses

O ser humano sente uma necessidade a cada segundo de ganhar, não importa o que for e de que forma for, para ele o importante é ganhar. No dia a dia a dia se enche de compromissos que lhe tiram a liberdade e o encarceram na escravidão em vez de priorizar as coisas mais simples. O ser humano nunca abre mão da razão, ele precisa a todo momento estar provocando uma discussão para assim tentar ter razão sobre o assunto. O ser humano é um carente eterno no sentido de ter que ser elogiado, nem que seja pelos mancomunados com as suas idéias e maneira de viver e, o pior, nem que para isso seja necessário alijar do seu relacionamento diário direto e franco aquelas pessoas que de sí discordam. O ser humano passa o tempo todo dominado por seu ego e pelas coisas por ele criadas acreditando que elas são reais e verdadeiras defendendo-as com todo o fervor para se sentir feliz nem que seja temporariamente. Com isso fica escravizado pelas coisas que lhe dão prazer apenas, expurgando da sua vida aquelas outras coisas que possam lhe exigir sacrifício. O ser humano tem dificuldade de se colocar no lugar do outro, desconhecendo o ingrediente maior do amor cristão que é a compaixão. O ser humano só não sabe que são justamente essas coisas propostas pela mente que o impedem de estar mais próximo a Deus e de ser verdeira e constantemente feliz. Para ser verdadeiramente feliz é necessário ter a coragem de alçar vôo para o incerto e o desconhecido.

Gileno de Sá Cardoso

NADA PODE ABALAR A ONIPOTÊNCIA DE DEUS

Por Gileno de Sá Cardoso há 11 meses

Basta não imaginar Deus como algo central e sim  como algo que está em todos os lugares, para tirá-lo da dualidade. Simples assim. Algo que é tudo e que é nada ao mesmo tempo, que é onisciente e onipotente além de onipresente e que é a causa primária de todas as coisas. O diabo foi representado pela serpente no paraíso que vivia atentando Eva a comer o fruto proibido do saber para assim compartilhar o conhecimento do qual só Deus era detentor. À cada reencarnação, a figura da serpente é substituída pelo ego, que nos impele a todo momento a interceder na vida, desafiando o poder de Deus e mais uma vez desobedecer ao Criador. De uma forma grosseira, podemos dizer que Lúcifer, o anjo rebelde e príncipe das trevas, e o nosso ego são discordantes quanto ao caminho traçado por eles, em relação ao de Deus, para encontrar a Unidade, ou seja ambos são discidentes de Deus. Não esqueçamos que ao passarmos a Ser o Agora e ingressarmos na Realidade Maior do Universo tudo se torna Uno. Tudo é Nada e Nada é Tudo.

Gileno de Sá Cardoso

O Real Valor do Silêncio

Por Gileno de Sá Cardoso há 11 meses

        O silêncio é contemporizador, pois coloca tudo no tempo de Deus, ou seja, ajuda a esperar as vicissitudes da vida se resolverem por sí sós, sem que ocorra intercessão pessoal na sua resolução. O que poucos sabem é que por trás disso há um componente espiritualista fundamental: para que o silêncio real ocorra, é necessário que se diga, a cada segundo, um não sei a qualquer propositura do ego.

    Se Deus é a causa primária de todas as coisas e tem um plano de vida para cada um de nós, de acordo com o nosso merecimento na Obra Geral do Universo, então só, e somente só o silêncio espiritual é capaz de retardar o nosso tempo e esperar o tempo de Deus acontecer. A vida é sagrada, portanto não deve ser tocada e a única maneira de manter a vida imaculada, é utilizando o silêncio espiritual.

    Qualquer outra forma de se conseguir o silêncio real e verdadeiro torna-se ilusória e irreal porque se originará condicionada e intencionalmente. Pode-se concluir que podemos perfeitamente experenciar a divulgação de conhecimentos espiritualistas, assim como tudo na vida, porém abrindo mão sempre de qualquer expectativa sobretudo do querer á exemplo de fama, elogio, etc. Em suma, permita-se a tudo sempre, mas nunca caia na propositura do ego.

Roosevelt Cardoso

O FLUIR DA VIDA

Por Roosevelt Cardoso há 11 meses

      A vida flui sem que tenhamos o menor controle sobre ela,  os pensamentos ativam em nosso corpo mental todas aquelas energias, memórias que precisam ser vivenciadas criando os atos do dia a dia, não temos a menor culpa ou responsabilidade pelo ocorrido, mas e qual seria então nossa responsabilidade, qual o real sentido da vida, qual o propósito? O de nos tornarmos  conscientes de tudo aquilo que está inconsciente em nós, o subconsciente. Diante de todas as verdades individuais vividas ou vivenciadas em todo esse período de conflito, o que se observa, os erros ou acertos, as escolhas?

      Não, nada disso existe ou existiu, tudo o que ocorreu foi da forma exata como deveria ter acontecido, nada poderia ter sido diferente, pois a vida é quem determina o que vai acontecer. Quanto aos propósitos, como recobramos nossa consciência original diante dos atos e circunstâncias da vida? Despertando dentro de si o observador aquele eu que vai observar as ações do ego-mente, ex: estou dirigindo no trânsito e sou “trancado” me observo, me percebo e melhor me assumo completamente irritado, e isso não me traz a mínima preocupação ou culpa por estar assim. Pronto, tomei consciência de um aspecto inconsciente em mim até então ignorado pela minha identificação com a raiva, esse ato de me observar enfraquece esse aspecto raiva que faz parte de minha personalidade.

                             “Tudo é revelado ao ser exposto à luz e tudo que é exposto à luz, se torna luz”.

                                                                                                                                               Paulo.

Renato Mendes

Apesar do mundo

Por Renato Mendes há 11 meses

Se quer transformar o mundo, transforme a si mesmo apesar do mundo.

Um mundo tão diferente deste atual, um mundinho todo meu, todo eu, todo igual, todos iguais, iguais a mim.

Ah como seria lindo este mundo perfeito, eu o idealizei, eu sei o que é certo e resolvi todos os problemas e não exclui ninguém, todos farão parte, eu pensei neles, o bem deles, e ficarei satisfeito com a satisfação deles, eles me serão gratos.

Eu tenho até um nome para este meu mundo, egocentrismo.

Mas a pergunta é, eu combinei com os outros sete bilhões de pessoas? Porque elas também devem ter uma ideia de mundo perfeito igual a elas e é nada provável que seja igual ao meu, apesar de elas também incluírem a mim em seus mundos. Mas nem preciso perguntar, é óbvio que elas vão concordar, afinal, eu pensei na satisfação delas.

Só que este mundo seria uma ditadura, ditadura do ego. Mas dane-se, é pelo bem do todo, todo eu.

Figura

Pode espernear, gritar, xingar, se debater a vontade. O mundo não existe para satisfazer o ego, daí deriva a sua contrariedade.

O mundo não pode ser o seu reino porque ele já é outra coisa, reflexo.

Para ilustrar, eu digo que o mundo externo é reflexo exato do mundo interno. Você não nasceu para o mundo é o mundo que nasce constantemente para você.

Dizem que pintamos o mundo com as nossas cores, quando estamos alegres pintamos o mundo com alegria, quando estamos tristes pintamos o mundo com tristeza, mas é muito mais que isto, a própria alegria e tristeza e o mundo e tudo o que ele contém, incluindo o ego, refletem em sua exata medida o mundo interno. Então o mundo não precisa ser outro para ser perfeito, ele já é perfeito, um espelho perfeito, mesmo que não gostemos do que está sendo refletido.

Figura

Quando não reconhecemos o nosso rosto perfeitamente refletido não mudamos o espelho, seria maluquice, nós trocamos os óculos e tudo muda, mas para isto é preciso antes de mais nada “enxergar” o espelho.

Se você quer transformar o mundo, transforme a si mesmo apesar do mundo, e ainda assim o mundo estará sempre igual, mas não igual aos devaneios do ego e sim sempre igualmente refletido.
Gileno de Sá Cardoso

Repensando o sofrimento

Por Gileno de Sá Cardoso há 11 meses

Sendo o agora, livre do passado e futuro, deve-se aguçar a consciência para perceber o ego o quanto antes, minimizando a agregação dos pensamentos que gerarão idéias, que por sua vez poderão gerar conflitos, emoções e sofrimento. Faça-se isso da mesma forma como ocorre num vazamento de gás silencioso e traiçoeiro: quanto mais rápido o percebemos, mais cedo evitamos sua inalação e os efeitos nocivos á saúde.

Gileno de Sá Cardoso