Gileno de Sá Cardoso

O PODER DO AGORA NA CONVIVÊNCIA COM PERSONAGENS DO PASSADO

Por Gileno de Sá Cardoso há 2 semanas

          Muitas vezes os planos de Deus mudam e lhe colocam frente a personagens que você convivia diuturnamente no passado e que ficaram afastados à decadas. 

          Que fazer nessa situação? Simplesmente continuar vivenciando o Agora que já estava vivenciando no presente.

          Assim o fazendo, continuará desidentificado, ou seja, fora do personagem, apenas observando-se, fazendo uma limpeza de pensamentos e adquirindo uma maior compreensão de tudo. 

          O interessante é que não é você, ou seja, o seu ego, que decide vasculhar o seu passado e lhe impelir a contracenar com esses personagens.

          Na verdade é o seu Silêncio Interno e a Energia que você *É* hoje, quem os atrai, de novo parara o seu convívio.

          A mudança de padrão mental livre de julgamentos, vivenciando o Agora, parece que faz o Universo conspirar em direção ao sincronismo entre os personagens.

Assim o auto conhecimento começa à acontecer, expurgando tudo que fôra escondido e que se pensava estar esquecido e não esclarecido.

Gileno de Sá Cardoso

O PODER DO AGORA NA VIVÊNCIA COM PERSONAGENS DO PASSADO

Por Gileno de Sá Cardoso há 4 meses

Muitas vezes os planos de Deus mudam e lhe colocam frente à frente com personagens que você convivia diuturnamente no passado e que ficaram sem se comunicar há mais de 10 anos. Que fazer nessa situação? Simplesmente continuar vivenciando o Agora que já estava vivenciando no presente. Assim o fazendo, continuará desidentificado, ou seja, fora do personagem, apenas observando-se, fazendo uma limpeza de pensamentos e adquirindo uma maior compreensão de tudo. O interessante é que não é você, ou seja, o seu ego, que decide vasculhar o seu passado e lhe impelir a contracenar com esses personagens e sim  o seu Silêncio Interno e a Energia que você É, hoje, quem os atrai. A mudança de padrão mental livre de julgamentos, vivenciando o Agora, parece que faz o Universo conspirar em direção ao sincronismo entre os personagens e  o auto conhecimento começa à acontecer, expurgando tudo que fôra escondido e que se pensava estar esquecido e não esclarecido.

Gileno de Sá Cardoso

MINHA CASA

Por Gileno de Sá Cardoso há 6 meses

Ainda hoje costumo inadvertidamente repetir "quero voltar pra minha casa" talvez numa alusão mental de que a "minha casa" seja em algum ponto do Universo lá em cima. Ora, a minha casa está em mim, esteja onde eu estiver. É difícil desapegar de conceitos milenares com os quais convivemos geração à geração. Só sairemos da nossa casa quando emitirmos um pensamento, estejamos onde estivermos, seja nas atividades mundanas ou meditando.

Gileno de Sá Cardoso

ALGO PENSA EM MIM

Por Gileno de Sá Cardoso há 8 meses

Nietzsche sempre repetia essa afirmativa. Para ele esse algo é uma força vital genealógica que faz brotar involuntariamente o pensamento. É como se a geração do pensamento fosse uma coisa involuntária assim como o são os movimentos peristálticos do intestino ou as contrações do coração. Você pode estar se questionando agora: sim, mas e os movimentos voluntários dos demais músculos, por exemplo, das pernas que nos possibilita a locomoção? Ora, também necessitam de um comando do pensamento e o Nietsch defendia uma involuntariedade do cérebro, à exemplo de intestino e coração. Vivenciando a vida com essa consciência, a figura do EU desaparece automaticamente e você passa a se sentir um observador. É como se você deixasse de ser sua identidade construída pela mente e a sua consciência passasse a ocupar o espaço vazio entre a sua essência e a mente.