Terceira conversa

Reproduzir todos os áudiosDownload
Terceira conversa

Texto não disponível

Segunda conversa

Segunda conversa

Reproduzir todos os áudiosDownload
Segunda conversa

Texto indisponível 

O valor das coisas

O valor das coisas

Reproduzir todos os áudiosDownload
O valor das coisas

Conversa realizada em Araraquara. 

'As coisas desse mundo não possuem poder absoluto próprios. O valor dela é determinado pelo ser a cada momento.'

01 - Introdução

01 - Introdução

Reproduzir todos os áudiosDownload
01 - Introdução

Apenas áudio.

Sem texto.

Orientando desencarnados

Arquivos de áudios do estudo 'Orientando desencarnados'.

Orientando desencarnados

Série de conversas realizadas por Joaquim de Aruanda com médiuns da cidade de São Carlos a respeito do atendimento a seres desencarnados que se apresentam durante as sessões espíritas.

Sofrimento - Textos

Nosso trabalho

Temos uma pedagogia muito específica. Quando passo uma ideia gosto de usar como exemplo coisas chulas que classificam como mal, como errado. Faço isso porque quando se está histérico é preciso levar um tapa na cara.

É preciso mostrar como exemplo as coisas mais chulas para lhes dar esse choque, para ver se entram no ar de novo. Essa é nossa pedagogia: ir à fundo nos exemplo e não ficar na superficialidade, para ver se vocês despertam.

Outra coisa. Torno a repetir: não me considero dono de verdade nenhuma. O que estou falando aqui é o que acho, é a minha verdade, a minha posição. Se estou errado, estou aberto a qualquer um falar.

Mas, faça uma análise isenta: se você parar de lutar contra a vida, ela não vai ficar boa? Se a sua resposta for sim, tente colocar em prática o que falamos.

Você já jogou pôquer? É um jogo onde você aposta nas suas cartas. Não sabe o que tem na mão dos outros; precisa confiar apenas no que tem na sua mão.

Se ouviu tudo isso e achou que é um caminho que pode lhe fazer feliz, faça sua aposta, jogue suas fichas, tente. Veja se dá certo. Pode ser que não consiga ter paz, pode ser ... Eu não conheço a mão dos outros.

Agora, se não apostar na sua mão, naquilo que acha importante, naquilo que entendeu como caminho, com certeza nunca vai caminhar para lugar algum.

Vamos continuar? Falamos do vício do egoísmo, do sofrer; falamos da necessidade de não individualizar a vida, o eu e o outro. Há uma terceira coisa que precisamos falar ainda porque é algo muito importante neste processo de busca.

Sofrimento - Textos

Viver é muito simples

Viver é simples. O que é preciso para uma vida simples? Parar de complicar a vida. Para vocês, viver é respirar. Se respira em uma casa limpa tanto quanto numa suja. Então, para que complicar a vida criando padrões de limpeza?

Agora vou dar uma chave mágica para se viver uma vida simples. Mais uma. Faça as pazes com a sua vida. Deixe de entrar em guerra com ela. Na hora que fizer as pazes com sua vida, ou seja, com o que acontece, não vai mais sofrer.

Para ser feliz é preciso viver o que tem para hoje, sem complicar, sem querer saber se aquilo é bom o mal, certo ou errado, bonito ou feio, limpo ou sujo. Nada. ‘Isso é o que tenho; acabou’.

Estão precisando fazer as pazes com a vida, porque até agora não viveram. Até agora lutaram contra a vida tentando transformar no que acontece no que não está. Na hora que entenderem que não vivem a vida, mas lutam o tempo inteiro contra ela tentando transformá-la no que não é, poderá, então, parar de lutar e ser feliz, viver.

É o caso da depressão e o caso da doença. Na hora que se para de lutar contra o estar doente, se convive com a doença que aparecer sem sofrimento, sem ter um problema. Estar doente não é problema: o problema é sentir-se doente. Enquanto não se entregar ao sentir-se doente, conseguirá viver em paz. Acontece que só se sente doente aquele que não queria estar, quem luta contra o que está acontecendo na vida.

Além de tudo, lutar contra a vida é uma luta inglória. Se através dela conseguisse se impor, fazer acontecer o que quer, não falaria nada. Só que jamais conseguem, não é mesmo? A vida sempre segue seu curso, independente do que você quer.

Aliás, como já foi dito hoje: ‘porque continuamos a perder a felicidade com o que acontece se sabemos que isso leva à infelicidade’? Agora posso responder completamente: porque sonham em vencer a vida. Sonham em muda-la, mudar as coisas, mudar as pessoas.

Você vai morrer nessa batalha. A vida foi feita para ser vivida, não para se criar nada. Viva: é só isso que tem para fazer. Não importa o que esteja ocorrendo, qual o problema, o prejuízo que ela lhe traga: apenas viva ...

Lembre-se que alguma coisa só será um prejuízo se você declarar que foi. Se não declarar que perdeu, jamais perderá nada, mesmo não tendo mais.

A coisa mais simples do mundo, é viver. Você não precisa fazer nada para isso.

Sofrimento - Textos

Entre em contato com a sua essência

Participante: o interessante é que estou começando a me perguntar o que me deixa feliz?

Olha que coisa importante. Só isso já justifica nossa conversa de hoje.

Quando começa a analisar o que hoje lhe faz feliz e vê o custo para conseguir o que chama de felicidade, começa a pensar: ‘será que isso é tão importante assim?’ Na hora que minimiza a importância da coisa começa a buscar novas coisas para ser feliz.

Participante: mas, vamos viver na contra mão de tudo que vivenciamos hoje. Crescemos numa verdade, fomos moldados por questões familiares, da sociedade, etc. Vamos o tempo todo nos enquadrando para o externo. O que você propõe voltar para o interno.

Vou lhe fazer mais uma pergunta. Você falou uma coisa muito interessante: vai se enquadrando ao externo. Quando faz isso, o que abandona?

Participante: a minha essência.

E só isso pode lhe fazer feliz realmente. Apenas quando entrar em contado com sua própria essência será feliz.

A sua própria essência que estou falando, não é o espírito. Digo isso porque esse é o pensamento sobre o interno que os humanos têm. Já até me perguntaram se ia fazer o ser humano entrar em contato com o espírito. Não é disso que estou falando.

A sua essência é a paz, a harmonia. Essa é a verdadeira essência de todos os seres. É ela que é abandonada para se enquadrar ao mundo externo.

Esse abandono, que é guiado pela mente, leva o ser a dar importância às coisas externas, imaginando que assim será feliz. Só que nunca existe uma real satisfação. Mesmo se enquadrando completamente o exterior, sempre falta alguma coisa. O que falta é exatamente o que você largou para poder se enquadrar externamente.

O trabalho é esse: se voltar para dentro. É estar em paz consigo mesmo, com o mundo, seja você quem for, aconteça o que estiver acontecendo.

Costumo dizer o seguinte: vocês acreditam na necessidade de fatores externos para se amar. ‘O dia que emagrecer vou me amar; o dia que pintar o cabelo de vermelho vou me amar; o dia que for mais alta vou me amar; o dia que for doutor, me formar na faculdade, vou me amar’. Só que mesmo que consiga alcançar o que deseja, nunca se ama. Porquê? Porque na hora que for mais magra, não é mais você; é outra pessoa. Você é gorda, por isso para se amar tem amar o gordo.

É preciso se amar do jeito que é, para poder se amar. Quando existem condições para se amar, acabará amando outra pessoa e não a si. Digo sempre: se você é um salafrário, ame-se. Ame o salafrário que você é. Se quiser ser honesto para se amar, não vai amar a si, mas outra pessoa.

O amor que estamos falando pode ser compreendido por uma palavra que eu não gosto: aceitação. Só que vou além: se orgulhe de ser quem é, independente do que é.

Se espantaram com o que disse? Só que se não se orgulhar de quem é, você vai querer ser sempre quem não é. Esse processo de ser quem não é, é doloroso e infindável, já que cada vez que atingir alguma coisa, criará outra obrigação de ser algo.

O processo da felicidade é viver em paz consigo mesmo e com o mundo, independente de quem é e do que está acontecendo. Isso só é conseguido mantendo o contato consigo mesmo, com o seu íntimo.

Cristo diz assim: tudo será revelado na hora que você descobrir que era antes de nascer, antes de ser quem é. A sua natureza íntima é quem era antes de ser quem é hoje. É essa natureza que foi sendo guiada para se enquadrar ao mundo externo. Só acabando com esse enquadramento você vai estar feliz e em paz. Mostrar como se faz isso é o nosso trabalho.

Voltar-se para o seu íntimo: é para isso que vocês nasceram. É por isso que foram levados a vida inteira a construir essa pessoa que você não é. Isso até que num momento diga: ‘espera aí, eu não sou isso; eu sou aquilo’. É esse o trabalho.

Sofrimento - Textos

Presença de seres superiores

Participante: o espírito perde a sensibilidade de percepção das coisas humanas? O espírito não consegue mais perceber uma nota, uma cor, por exemplo?

Sim.

Na verdade, não é que não consegue perceber: ele não tem percepção. É diferente. Não conseguir é ter a capacidade de perceber, mas não perceber. Ele nem consegue perceber porque não tem percepção dessas coisas.

Participante: ele só consegue perceber a energia, o amor universal.

Isso, exatamente.

Participante: existe algum objetivo para estarmos aqui? É libertar-se do vício do egoísmo?

Exatamente. O motivo pelo qual você nasceu foi para se libertar do vício no egoísmo.

Todos que estão encarnados nesse mundo tem uma coisa em comum: são egoístas. Não existe ninguém que não seja viciado em egoísmo. Já no universo universal, não existe ninguém que seja viciado nisso. Pode até ter egoísmo, mas não é viciado nele, ou seja, consegue superar a necessidade de ganhar.

Participante: não existe essa história de vir alguém para cá de ser de um nível mais elevado? Não existe isso?

Não pode. Não tem como um ser superior encarnar ou ligar-se a esse mundo.

Imagine uma coisa. A televisão da sua casa tem uma voltagem, cento e dez volts. Tente liga-la na energia que sai da hidroelétrica. O que acontecerá? É isso que ocorre no mundo espiritual: se um ser que está em uma voltagem muito maior se apresentasse aqui explodiria todos vocês.

Participante: mas como que Cristo fez para vir?

Cristo nunca veio.

Como você faz para transmitir a energia da hidrelétrica até a sua casa? Algo que a suporta recebe e a transforma para uma menor. Depois outro elemento reduz ainda mais a voltagem. Foi a mesma coisa com Cristo e com todos os espíritos superiores que um dia estiveram por aqui: eles tiveram elementos que transformavam a energia até que ela pudesse chegar aqui.

Participante: foi como uma projeção. Ele estava onde está. Aqui existiu um corpo físico carnal, só que ele não estava dentro, se é que o espírito dentro do corpo. Era só uma projeção dele?

O que está vendo aqui onde estou? O médium. Você não está me vendo, mas quem está falando sou eu e não o médium. É desse jeito.

Aliás, isso acontece em múltiplas camadas. Ninguém no mundo espiritual age livremente. Eu, por exemplo, não falo o que quero; alguém diz o que tenho que falar. Por sua vez, esse alguém recebeu de outro ser que estava mais acima.

Participante: Jesus era tipo o seu médium, por exemplo?

Sim. Jesus era o médium do Cristo.

Participante: não preciso entender isso, não é mesmo? Não vai ajudar em nada ...

Perfeito.

Além do mais, o que vai ganhar se entender isso? Compreender isso o que pode lhe fazer mais feliz? Não.

Participante: nada porque só vai alimentar o meu vício e o meu egoísmo de conseguir entender.

Você deu a mesma resposta que o Espírito da Verdade. Perguntaram a ele se o ser humano pode conhecer Deus. A resposta foi não, ele não têm condições para isso. Completou: ‘além do mais, se conseguisse saber alguma coisa, isso só traria mais glória humana por saber, mas não resolveria nada na sua existência eterna. Disse mais: dedicando-se a saber, ficará preso num labirinto de onde nunca vai conseguir sair. Por isso, ele orientou: preocupe-se com aquilo que lhe afeta diretamente.

O que lhe afeta diretamente? É o calor de hoje? Preocupe-se com ele. É a sua mãe? Preocupe-se com ela. É o animal na rua? Se atente àquilo. Porque com aquilo que pode lhe levar a ganhar alguma coisa. Ganhar no sentido espiritual: estar em paz. Preocupado com Cristo, se ele veio mesmo ou se apresentou através de intermediários, se Jesus foi um médium ou outras coisas, não presta a atenção àquilo que lhe faz sofrer todo os dias.

Sua colocação foi perfeita. É exatamente o que você falou: mesmo que soubesse, isso não resolveria nada na sua existência eterna. O que vai resolver é saber que se der asas ao que é pensado, vai sofrer.

É isso que vai resolver sua vida. É isso que vai fazer estar em paz. É isto que vai fazer viver melhor, mais leve, mais tranquila.

Isso é importante, porque vivem essa vida de uma forma pesada, arrastada, cheia de mágoas, medos ... Já repararam que o não abrir mão do que é pensado enche vocês de medo, preocupação, ansiedade, nervosismo? Isso não é natural, não é normal. Isso só é natural para aqueles que não dão valor à sua felicidade.

Quem dá valor à sua felicidade, diz assim: ‘eu vou fazer, se fizer, fiz; se não fizer, não fiz. Não vou largar minha paz de espírito para poder saber o que vai acontecer amanhã’.

Tem um país no mundo jogando bomba. Vocês estão preocupados com isso? Me respondam: essa preocupação vai mudar a rota do foguete? Se tiver que cair aqui, vai cair. Faz com que o governante pense duas vezes antes de apertar o botão? Claro que não. A sua preocupação não vai mudar nada. Então, para que se preocupar?