A arte de sorrir mesmo quando o mundo diz não - Áudios

7ª palestra - Falando sobre sofrimentos

Reproduzir todos os áudiosDownload
7ª palestra - Falando sobre sofrimentos

Texto indisponível 

A arte de sorrir mesmo quando o mundo diz não - Áudios

6ª palestra - Convivendo com o vício humano

Reproduzir todos os áudiosDownload
6ª palestra - Convivendo com o vício humano

Texto indisponível 

Vamos arrumar a casa - áudio

3ª e 4ª parte - O vício humano

Reproduzir todos os áudiosDownload
Vamos arrumar a casa - 3ª parte
Vamos arrumar a casa - 4ª parte

Nessa última parte Joaquim fala do vício do espírito pelas coisas humanas que lhe faz querer o bom, aquilo que lhe faz bem. 

Vamos arrumar a casa - áudio

2ª parte - A sujeira que precisa ser limpa

Reproduzir todos os áudiosDownload
Vamos arrumar a casa - 2ª parte

Nessa parte, Joaquim mostra qual a sujeira que precisamos limpar de nossa casa. 

Vamos arrumar a casa - áudio

1ª parte - Arrumar a casa

Reproduzir todos os áudiosDownload
Vamos arrumar a casa - parte 1

Fala sobre o que é a arrumação da casa. 

Vamos arrumar a casa - áudio

Mensagem introdutória

Reproduzir todos os áudiosDownload
Vamos arrumar a casa - Mensagem introdutória

Texto indisponível 

Vamos arrumar a casa - áudio

Vamos arrumar a casa - áudio

O contato com os extraterrestres é profetizado por Cristo na Bíblia. Nessa conversa Joaquim fala desse encontro e do que devemos fazer para arrumar a casa para receber os irmãos universais. 

A arte de sorrir mesmo quando o mundo diz não - Áudios

5ª palestra - Estudo de sofrimentos

Reproduzir todos os áudiosDownload
5ª palestra - Estudo de sofrimentos

Texto indisponível 

Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe

Reproduzir todos os áudiosDownload
Não há bem que sempre dure, nem mal que nunca acabe

Mensagem enviada por Joaquim de Aruanda sobre viver os momentos de baixa da vida humana

Volume 04

Sistemas humanos

• O sistema humano de vida manipula vocês como ele quer, e vocês se entregam a esse sistema, se deixam ser manipulados em troca daquela premiação que ele diz que vai dar, que vocês já viram que a maioria das vezes não vem. Você pode começar a agir em cima disso tudo:

• PRIMEIRO: “Não aceitar essas cobranças” do mundo;

• SEGUNDO: “Não querer dominar, mudar os outros”, aceite os outros do jeito que eles são, aceite eles fazerem o que quiserem;

• TERCEIRO: Saber que existe um “sistema” que está tratando vocês como gado no pasto, e se “libertar” desse “ter que” ser conduzido pra onde o sistema manda.

• Tudo isso, vocês podem fazer agora, e não se culpar, se decepcionar consigo. Essa culpa não é de vocês, assim como, o amor que vocês sentem por alguém, não é de vocês, assim como, a raiva que vocês sentem por alguém, não é de vocês. Tudo isso é uma programação de como se sentir, ou seja, viver algo que foi “programado” (“se alguém fizer isso, sinta-se assim”). O sistema diz “se alguém lhe decepcionar, você tem que sentir-se decepcionado”; “se alguém brigar com você, você tem que brigar com esse alguém”; “se alguém fizer coisa boa pra você, você tem que amar esse alguém”; mentira; você não está amando, você está fazendo o que o sistema mandou você fazer.

• O trabalho de libertação do sistema tem que ser um trabalho constante, uma vigilância constante, pra saber o que? Como você vai distinguir quando você está fazendo o que o sistema propõe que você faça, ou você está vivendo naquele momento o que é melhor pra você. O que você está fazendo, está gerando a oportunidade pra alguém sofrer ou respeitando aquela pessoa? Se o que você está fazendo tiver ferindo alguém, você está escravo do sistema. É verificar se a “forma” e não o que você está fazendo, como você está “vivendo” aquele momento, está tirando alguma coisa de alguém, se está, você está sendo escravo do sistema; não aceite este prêmio.

• Todo sistema se fundamenta no binômio “positivo” e “negativo”, “certo” e “errado”, “bonito” e “feio”. Se a sua forma de compreensão do mundo estiver preso de qualquer forma ao “certo” e “errado”, você está vivendo o sistema e não você, porque você não tinha esse critério quando nasceu, esse critério lhe foi transferido. Então, para que você consiga viver você mesmo, o caminho não é realização, é você estar sempre ouvindo o pensamento, tentando identificar se ele está preso a esses conceitos (“certo” e “errado”, “bonito” e “feio”, etc.), ou se ele está querendo roubar alguma coisa de alguém (o direito, a forma de se vestir, de se sentar, a cor mais bonita, etc.), faltando, consequentemente, com respeito a ele. Esse é o “caminho”. De tanto você trilhar esse “caminho”, essa coisa passa a ser automática, e aí, você não tem mais tempo pra essas coisas (criticar, observar, fazer julgamento de mérito das coisas do mundo, a partir do que acham que acreditam, do que acham “certo”, quando na verdade, estão usando apenas é um sistema pré-programado que lhe foi passado).

• É a cada momento, a cada hora, você está dizendo: “Espera aí, eu vou me prender a essa porcaria”? Isso tudo é um processo de “você com você”, e que na maioria das vezes, não vai refletir em nada da sua forma de agir. Então, “para de julgar o outro e cuida de você”.

• No ensinamento do CRISTO, a única coisa que ele fala, é pra “você viver uma vida livre dos sistemas da vida”, porque a ação do CRISTO todinha, foi contra o sistema de vida dos judeus. Ele deu uma nova forma de você agir, ele não criou o sistema da nova forma, foi criado a partir dele. O ESPÍRITO DA VERDADE e KRISHNA fizeram a mesma coisa.

• Tem um sistema que diz pra você “se alguém falar isso, você tem que reagir assim”; é um “padrão” que o ser humano, em linhas gerais, segue, não é dele.

• Faz tanto tempo que você só sabe ser guiado pelo sistema, que muitas coisas pra você passou a ser normal, natural, e aí, você nem sabe reconhecer que aquilo é um sistema. É como um viciado que só sabe viver, só acha normal a vida depois que ele usa o tóxico, o anormal é ele estar limpo.

• O sistema, seja ele qual for, é “fundamentado” nas “QUATRO ÂNCORAS”. Todo sistema humano é criado para que você obtenha uma “vitória”, ou seja, que você faça o “certo”, o “certo” que ele diz que é “certo”, e se você não segue, o sistema criou a “crítica” (“você é um bobo, vai ser sempre um banana”), e você acha isso natural, normal, porque “acha” que você “acha” aquilo, e não vê que aquilo é algo “importado” de fora pra dentro de você.

• A ignorância não é você saber que há um sistema agindo em você, a “maior ignorância é você não saber que há um sistema”. Você não entende que há uma ação global, coordenada, orquestrada, que é o sistema, e que você é apenas uma peça que ele mexe.

• Por que vocês não conseguem ver que há um sistema manobrando vocês? Por que que vocês não se conhecem? Porque vocês são “preguiçosos”, vocês não querem “pensar”. Não é muito mais fácil ter a resposta pronta do que você ter que pensar e tomar uma decisão?

• O ser humano de hoje tem uma vida atarefada, corrida, não sobra tempo pra pensar, é o próprio sistema que acelera a vida, acelera vocês, coloca os compromissos, diz que é inadiável, diz que você não pode viver sem aquilo, pra você não ter tempo de pensar. Você vai ver uma coisa interessante, você não sabe o que você gosta, o que você quer.

• O “modo de vida” é “ditado” pelo sistema. Você acha que você veste a roupa que você gosta, que tem o cabelo que você gosta, que faz o que você gosta, tem certeza disso. Será que não tem coisas que você preferia comer, mas porque “faz mal a saúde”, você não come?

• Você precisa distinguir na sua vida o que é sistema, o que é normas, e regras, e padrões importados, aos quais você se submeteu, para ir “se libertando” dele, não é mudá-lo, porque não adianta mudar de um sistema para outro, é ir se libertando dele passo a passo, para que um dia você possa “viver você”. Conforme você vai se libertando aos poucos, porque quando você se liberta, o sistema lhe cobra lá na frente, e você tem que continuar a luta. Um dia você vai conseguir “viver você”. Não há uma mágica, porque vocês já estão submetidos ao sistema muito tempo, tem muitas coisas que vocês não fazem a mínima ideia de que é o sistema, e você acha que é o que você gosta.

• A luta contra o sistema não se faz em “ação”, mas dentro de um “processo mental”. Fazer, você faz o que você quiser, o que você conseguir fazer, não há problema algum, o problema é você “achar que é “certo” não fazer nada, ou achar que o “certo” é você se mexer”, porque quando você se “subordina ao “certo””, é que você se “subordina ao sistema”. Se você não tem vontade, não faça, agora, não ter vontade e se lamentar, e reclamar, porque não está fazendo nada, isso é “subordinação”. Você diz “eu devia, mas não estou, estou aqui, e daí, o que que você quer que eu faça?”. Então, não se preocupe com o que você faz, se preocupe com a sua cabeça, sua mente, em olhar para a sua mente e ver se você “está preso a um “certo””. O que você não pode, é a partir do que você escuta, aceitar como “norma”, como “regra”, como “certo”, como “bonito”; é só mais uma informação, vamos lá.

• Vocês perderam a capacidade de “raciocinar”, de “analisar” aquilo que o sistema diz que você tem que viver. Alguns se entregam ao sistema e “não questionam a própria vida”, que é a ação do sistema.

• A ansiedade é um dos itens que o sistema lhe diz que você “tem que” sentir, e você “sente”; isso lhe é “imposto” e como você se “subordina”, você passa a ter.

• Conforme o amadurecimento, você tem capacidade de reconhecer o sistema e lutar para se libertar dele.

• Ninguém faz “nada” por ninguém.

• O raciocínio é um espetáculo, quando você entra no mundo de raciocinar, você vê tanta coisa, que você não vê quando não raciocina a vida, e você se deslumbra. Agora, o grande problema é que vocês “não tem tempo pra isso”, porque tem que fazer o que o sistema obrigou a fazer.

• O que é o seu sistema? É o seu conjunto de “certos”.

• DEUS deu a vida a cada um, pra cada um cuidar da sua.

• “Você não tem que ensinar nada a ninguém”, você mal consegue se libertar de você; pelo contrário, quando você imagina que tem que ensinar alguma coisa a alguém, você não está vendo que você está sendo, simplesmente, um elemento “usado” pelo sistema para se “impor” ao outro.

• O sistema diz que você como pai e mãe, deve querer o melhor para o seu filho, então, antes de se preocupar com o seu filho, você tem que se preocupar em se “libertar” disso, porque enquanto você quiser o melhor para o seu filho, você vai “sofrer” com qualquer coisa que seu filho tiver, porque o sistema sempre vai dizer que ainda poderia ter ido mais longe.

• Você tem que “observar você”. Você diz que você quer se libertar do que é “certo”, mas está querendo “impor” o “certo” ao outro.

• Você sabe o que é viver? É vivenciar cada momento como se fosse “novo”. A cada momento você descobrir, naquele momento, a vivência daquele momento, porque toda vez que você usa no momento um padrão, você reage a uma obrigação de fazer; não faz; você importa uma forma de viver, não vive.

• Você deve viver solto de obrigações, mesmo que você imponha obrigações ao outro (filho). Você só pode viver a sua vida, você não pode viver a vida de ninguém, e por você estar preocupado com outra pessoa, você não vive a sua vida.

• Viver cada momento, é você estar “interiorizado” em você mesmo e “raciocinar” aquele momento dentro daquele momento, como se ele fosse o “primeiro”, porque se você usa qualquer experiência anterior, essa experiência é uma coisa pré-montada, não é sua.

• O raciocínio que eu estou falando, é você raciocinar você, não raciocinar o que o outro está falando.

• O sistema sempre mente.

• Você não sabe o que é melhor pra você, você só vai saber o que é melhor pra você, quando você experimentar tudo.

• “Preconceito” é não aceitar quem faz.

• Você não tem capacidade de julgar o que é melhor pra você, é ditado pelo sistema. Você só será hábil para decidir o que é melhor pra você, quando você experimentar os dois lados, aí, você será capaz de escolher o que é melhor pra você, mas você vive a vida inteira sabendo o que é melhor pra você, sem nunca ter experimentado o outro lado.

• Não dá pra você escolher o que é melhor pra você hoje, porque você não sabe o que é melhor pra você.

• Se libertar do sistema é encontrar o melhor pra você naquele momento, sem querer saber o que é melhor pra você; vai saber no futuro.

• Sabe o que é você, “é a sua relação de você com a mente”, o resto não existe, não faz parte da sua vida, seja no mundo material ou no espiritual; é por isso que BUDA DISSE “VOCÊ É HERANÇA DE VOCÊ MESMO”, da “forma” de como você convive com você. Se você vive escravizado pela mente, pelo sistema, você vai ser sempre filhote do sistema, você vai sofrer quando o sistema disser pra sofrer, você vai ter o prazer quando o sistema disser que tem que ter prazer, sempre, você nunca vai fugir disso.

• Vocês são “submissos” ao sistema, mas podem se libertar, quando ele disser que foi ruim, você diz “NÃO SEI”, e se eu “não sei se foi ruim”, então, eu não preciso chorar; quando ele disser que foi “bom”, você não deve acreditar que foi “bom”.

• Tudo que você acreditar que a mente está fazendo por você, será usado contra você.

• Como é que você vai identificar em você a ação do sistema? Pela sua reação ao mundo.

• BUDA DISSE: “O MEU ENSINAMENTO TEM COMO OBJETIVO, VOCÊ APRENDER A SOFRER, QUANDO O SOFRIMENTO VIER, RECEBA-O, ABRACE-O E DEPOIS DIGA: AGORA, VAI EMBORA”. O problema é que o sofrimento chega e vocês agarram e ficam com ele o tempo inteiro; é a mesma coisa com a decisão espontânea que você toma em determinados momentos, você se agarra àquela decisão e acha que você fez “certo”; como você vai mudar? Você vai passar o resto da vida, fazendo o que o sistema disse, achando que você está “certo”.

• Quem ama, faz o que o outro quer.

• A visão, no sentido de buscar a sua felicidade, é:

• você precisa estar despreocupado com o que você faz;

• estar muito preocupado com a sua capacidade de sofrer ou ter prazer com o que faz, o “certo” e o “errado”, porque é isso que lhe subordina ao sistema, que não deixa você se vencer, que não deixa você conhecer você. Cada vez que você vive o prazer ou a dor que o sistema lhe impõe, você rega a semente.

• O ato sai instantaneamente, inconscientemente, então, você não tem a menor responsabilidade, agora, quando você justifica, aceita a justificação que você realmente fez “certo”, aí, você merece.

• DEUS julga a “intencionalidade”, ou seja, a “forma” como você vive o que acontece, então, você tem que se preocupar com a sua “intenção”, e sua intenção é ditada pelo sistema. Aquele que se julga no direito de dominar e dirigir a vida de outro, mesmo que seja uma criança, está “estuprando” o outro. “Estupro” é você “dominar” o outro e obter “vantagens” pra você; é você dizer pro outro que está “errado” e que vai ensinar o “certo”.

• “Meditar” é você pensar como aconteceu aquele seu momento da vida.

• Não aceite “culpa” de nada, você “não é culpado de nada”.

• Uma “vida tubo” é comer, ir ao banheiro e dormir, o resto tudo são apenas programações que a vida vai colocando e você vai seguindo, “não vive”, porque está preocupado em comer, ir ao banheiro e dormir; por isso que dizem que esses estão dormindo.

• Sempre que há uma esperança de conseguir alguma coisa, isso aí, é o sistema lhe comprando, subordinando.

• No Universo não existe religião; religião é algo humano, e por ser humano, ela, necessariamente, precisa ser usada como instrumento do sistema.

• CRISTO DISSE: “NÃO SE SEGUE DOIS SENHORES AO MESMO TEMPO”, ou serve a DEUS ou você serve à matéria.

• Os mestres ensinaram o “caminho” pra você viver para DEUS, ou seja, para você “viver servindo a DEUS”. A partir desses ensinamentos, foram criados (pela mente) uma adaptação desses ensinamentos, para alcançar anseios humanos (“faça isso, que você vai ter saúde, prosperidade, paz humana, prazer”), quando, na verdade, todos os mestres ensinaram que você deve procurar a DEUS para gozar a felicidade do outro mundo e não desse mundo.

• O humano segue a lógica humana e não a lógica de DEUS, por isso, não é filho de DEUS.

• A partir do momento que vocês se acham filhos de DEUS, vocês acham que DEUS tem obrigação de dar o que vocês querem. Não há uma religiosidade no sentido de servir a DEUS, mas a religiosidade de vocês é vivida no sentido de explorar DEUS para obterem o que vocês querem. Servir a DEUS é viver tudo o que acontece, em paz e harmonia, aguardando a felicidade do outro mundo, mas vocês exigem de DEUS que ele venha lhe dar saúde, trabalho, prazer, que proteja o seu filho, mas o filho DELE ele botou na cruz, mas o seu, não pode.

• CRISTO ENSINOU: “QUANDO VOCÊ REZAR, NÃO PEÇA NADA, DEUS SABE MELHOR DO QUE VOCÊ, O QUE VOCÊ PRECISA”. Isso o sistema faz questão de esconder de você. Não se deve agradecer, já que “DEUS DÁ A CADA UM, SEGUNDO AS SUAS OBRAS”, o que você deve, é “respeito”, não subordinação; amor é uma coisa, veneração, é outra coisa; respeito, é pela consciência da elevação moral que ELE tem frente a você (“eu reconheço a SUA elevação moral, por isso, eu lhe respeito, jamais vou contra você”).

• Universo é o mundo Real, e ilusão, é tudo aquilo que os seus órgãos dos sentidos podem perceber.

• As colônias espirituais são um mundo humano sem carne, ou seja, uma ilusão.

• CRISTO DISSE: “BEM-AVENTURADOS SERÃO VOCÊS QUANDO FOREM PERSEGUIDOS E CALUNIADOS EM MEU NOME”. Quando você reza a DEUS para que seu filho seja caluniado e perseguido? Nunca; então, você não quer que ele seja bem-aventurado, e diz que acredita nos ensinamentos do CRISTO.

• Você deve seguir o mestre, e o mestre disse que a prioridade é o bem espiritual e não material, então, não vou pedir nada que o ser humano queira pra ele, “eu vou me entregar a DEUS”, que é a última coisa que vocês fazem.

• O “anjo da guarda” protege o Espírito, a missão do Espírito, a oportunidade do Espírito, e não você.

• “Tudo que você acredita agora, você vai levar pra próxima vida”.

• Se você quer uma coisa, você tem que trabalhar por aquilo, e o trabalho para quem quer viver só no mundo espiritual, é “libertar-se da matéria”, porque “a matéria é o inimigo de DEUS”. Libertar-se da matéria é tirar os anseios humanos, as cobranças da vida, a submissão ao sistema, de dentro de você, e tirar, não é não ter, é impossível não ter, é você “não acreditar naquilo”, não achar que aquilo é o “certo”, “errado”, “bonito”, “que você tem que fazer”, “que você deve responder”, “que fez um ato bom”, “que está muito certo a cada segundo”.

• Quem é o sistema? DEUS, só que quando você toma consciência de que você é marionete de DEUS, você vê a “justiça em ação”, o “amor em ação”. Quando você se torna marionete do sistema, você vê o amor e o desamor, a ofensa e o elogio, a crítica, você vê variadas coisas.

• DEUS não tem lógica, DEUS é a lógica.

• “Ler” é criar uma interpretação, então, “ler” não é o livro, é o que você está entendendo. Quem dá o entendimento? DEUS; se você está apegado aos anseios humanos, você vai entender apegado aos anseios humanos; se você não está, você vai ver de outra forma.

• O que o outro faz é onde você tem que se reformar, ele é o seu mestre, não no sentido de lhe ensinar, mas aquele que lhe aponta o lugar para trabalhar. Se vier contrariedade, corra para “dentro de você”, e veja o que em você criou a insatisfação, a contrariedade, e “aja ali”, não no outro. Quem tem que resolver a sua vida é você mesmo. “Ninguém pode resolver sua vida por você”.

• “DEUS NÃO PERMITI, FAZ. DEUS NÃO USA, É”.

• Sem um sistema você não vive, porque quem cria o acontecimento é o próprio sistema, então, você não tem como não ter sistema.

• Tem uma coisa que vocês não fazem e que sem ela vocês não vão fazer nada: “fé em vocês mesmos”, não ao sistema. Vocês adoram que os outros digam o que vocês têm pra fazer, porque se não der certo, tem alguém pra culpar. Vocês são movidos pelo reconhecimento do outro, pelo elogio do outro, então, vocês são “dependentes” e “carentes” do próximo. “Vocês não se amam”.

• O Universo se faz por “afinidades”.

• Não se preocupe com a morte, ela é inevitável, se preocupe para “estar pronto para morrer”; se preocupe em como você estará naquele momento, “por dentro”. Aproveite o tempo para se preparar para “morrer”.

• Não se preocupe com o sofrimento dos outros, isso é um “apego” aos padrões humanos.